Segue a TOP

NO AR

[elementor-template id="145261"]

Óscares 2021 – Onde assistir aos filmes nomeados?

TV & Cinema

Óscares 2021 – Onde assistir aos filmes nomeados?

As nomeações aos Óscares foram anunciadas a 15 de março, sendo que a cerimónia de entrega dos prémios mais cobiçados do cinema chega já no dia próximo dia 25 de abril de 2021. Até lá ainda tem alguns dias para ver e pôr-se a par dos filmes que a Academia de Hollywood considerou os melhores de 2020/2021.

Alguns dos filmes nomeados serão exibidos nos cinemas portugueses a partir de 19 de abril:

– “Nomadland”, de Chloé Zhao (19/abril)
– “Promising Young Woman”, de Emerald Fennell (29/abr)
– “Another Round”, de Thomas Vinterberg (29/abr)
– “The Father”, de Florian Zeller (6/mai)
– “Minari”, de Lee Isaac Chung (13/mai)
– “The United States vs Billie Holiday”, de Lee Daniels (20/mai)
– “Quo Vadis, Aida?”, de Jasmila Žbanić (10/jun)
– “Collective”, de Alexander Nanau (24/jun)

No entanto uma grande parte dos nomeados encontra-se já disponível online, tanto em streaming como de forma gratuita. Eis um guia para orientar as suas próximas semanas de cinema caseiro.

“Sound of Metal”
Sinopse: a vida do baterista de heavy-metal Ruben (Riz Ahmed) muda drasticamente quando começa a perder a audição. Ruben debaterá entre aceitar a sua condição ou submeter-se a uma custosa operação aos ouvidos.
Nomeado para: 6 Óscares, incluindo Melhor Filme
Onde ver: Amazon Prime Video

“The Trial of the Chicago 7”
Sinopse: em 1968, protestos pacíficos contra a Guerra do Vietname acabam num violento confronto com a polícia. Seguiu-se um julgamento mediático: o governo dos E.U.A. contra os 7 maiores representantes dos protestos, acusados de incitação a revolta.
Nomeado para: 6 Óscares, incluindo Melhor Filme
Onde ver: Netflix

“Mank”
Sinopse: David Fincher leva-nos para a Hollywood dos anos 30. O filme acompanha o argumentista Herman J. Mankiewicz (Gary Oldman), enquanto escreve o guião de “Citizen Kane”, atualmente considerado um dos melhores filmes de sempre.
Nomeado para: 10 Óscares, incluindo Melhor Filme
Onde ver: Netflix

“Time”
Sinopse: o documentário mais premiado de 2020. “Time” acompanha a luta de Sibil Richardson para libertar o marido, condenado a sessenta anos de prisão.
Nomeado para: Óscar de Melhor Documentário
Onde ver: Amazon Prime Video e YouTube

“Crip Camp”
Sinopse: “Este campo mudou o mundo e ninguém sabe a sua história.” Documentário sobre o campo de férias de verão Camp Jened. Outrora localizado no estado de Nova Iorque, o campo destinou-se a jovens com necessidades especiais durante os anos 50 a 70.
Nomeado para: Óscar de Melhor Documentário
Onde ver: Netflix

“My Octopus Teacher”
Sinopse: o laço entre Craig Foster, documentarista sul-africano, e um polvo selvagem.
Nomeado para: Óscar de Melhor Documentário
Onde ver: Netflix

“Wolfwalkers”
Sinopse: a quarta longa-metragem do conceituado estúdio de animação irlandês Cartoon Saloon. “Wolfwalkers” conta a história de duas raparigas: Robyn, uma aprendiz de caçadora, e Mebh, uma menina que vive com lobos.
Nomeado para: Óscar de Melhor Filme de Animação
Onde ver: Apple TV+

“Onward”
Sinopse: o primeiro título de 2020 da Pixar. “Onward” conta a história de dois irmãos elfos que tem 24 horas para encontrar uma pedra preciosa com propriedades mágicas que lhes permitirá rever o pai.
Nomeado para: Óscar de Melhor Filme de Animação
Onde ver: Disney+

“Soul”
Sinopse: o segundo título de 2020 da Pixar. Na cidade de Nova Iorque, Joe Gardner é um professor de música e aspirante músico profissional. Um dia, depois de uma atuação, sofre um trágico acidente.
Nomeado para: 3 Óscares, incluindo Melhor Filme de Animação
Onde ver: Disney+

“Over the Moon”
Sinopse: uma talentosa menina constrói um foguetão para viajar até à Lua, onde descobre um mundo de criaturas mágicas.
Nomeado para: Óscar de Melhor Filme de Animação
Onde ver: Netflix

“One Night in Miami”
Sinopse: Malcolm X, Muhammad Ali, Jim Brown e Sam Cooke entram num bar. O filme, que como o título indica relata uma noite em Miami, tece paralelos entre a década de 60 e a atualidade, debatendo desde política a boxing, de racismo a religião.
Nomeado para: 3 Óscares, incluindo Melhor Ator Secundário
Onde ver: Amazon Prime Video

“Borat Subsequent Moviefilm”
Sinopse: Borat está de volta catorze anos depois. Nesta sequela, o objetivo de Sacha Baron Cohen é semelhante ao que tivera aquando do seu primeiro filme: fazer os espectadores rir mas também pensar, enquanto revela o estado lastimoso da nação norte-americana.
Nomeado para: 2 Óscares, incluindo Melhor Atriz Secundária
Onde ver: Amazon Prime Video

“Pieces of a Woman”
Sinopse: na cidade de Boston, Martha (Vanessa Kirby), encontra-se nas últimas semanas de gestação e optou por um parto caseiro. A um trabalho de parto angustiante – completo de enjoos, ansiedade e dor – seguir-se-ão vários dramas familiares.
Nomeado para: Óscar de Melhor Atriz
Onde ver: Netflix

“News of the World”
Sinopse: após a Guerra Civil norte-americana, o veterano de guerra Capitão Kidd (Tom Hanks) serve de escolta a uma menina de dez anos (Helena Zengel), criada por povos indígenas.
Nomeado para: 4 Óscares, incluindo Melhor Cinematografia
Onde ver: Netflix

“Hillbilly Elegy”
Sinopse: uma crise familiar obriga J.D., um aluno de Direito em Yale, a regressar à sua casa de família, onde reencontra a mãe toxicodependente (Amy Adams).
Nomeado para: 2 Óscares, incluindo Melhor Atriz Secundária
Onde ver: Netflix

“Ma Rainey’s Black Bottom”
Sinopse: na Chicago de 1927, a cantora de bluesMa Rainey (Viola Davis) e o seu trompista Levee (Chadwick Boseman, no seu último papel) entram em conflito durante uma escaldante tarde de gravações.
Nomeado para: 5 Óscares, incluindo Melhor Ator
Onde ver: Netflix

“Da 5 Bloods”
Sinopse: um grupo de veteranos da Guerra do Vietname decide regressar à selva em busca dos restos mortais do chefe de esquadrão e de uma fortuna escondida.
Nomeado para: Óscar de Melhor Banda Sonora
Onde ver: Netflix

“The Life Ahead”
Sinopse: a lendária atriz Sophia Loren interpreta Madame Rosa, uma sobrevivente do Holocausto que gere um centro de dia no litoral de Itália.
Nomeado para: Óscar de Melhor Canção Original
Onde ver: Netflix

“The Midnight Sky”
Sinopse: Augustine Lofthouse (George Clooney), um cientista solitário, entra numa corrida contra o tempo para impedir que um grupo de astronautas regresse à Terra, recém-afetada por uma catástrofe global.
Nomeado para: Óscar de Melhores Efeitos Visuais
Onde ver: Netflix

“Mulan”
Sinopse: live-action remake do clássico da Disney, “Mulan” (1998).
Nomeado para: 2 Óscares, incluindo Melhor Guarda-roupa
Onde ver: Disney+

“The White Tiger”
Sinopse: a história de um rapaz indiano que usa a sua astúcia para escapar da pobreza.
Nomeado para: Óscar de Melhor Argumento Adaptado
Onde ver: Netflix

“Burrow”
Sinopse: uma coelhinha tenta construir a toca dos seus sonhos.
Nomeado para: Óscar de Melhor Curta-metragem de Animação
Onde ver: Disney+

“Feeling Through”
Sinopse: Tereek, um jovem nova-iorquino de 18 anos, cruza-se na rua com Artie, um homem surdo-mudo à procura da sua casa.
Nomeado para: Óscar de Melhor Curta-metragem live-action
Onde ver: YouTube

“If Anything Happens I Love You”
Sinopse: curta comovente sobre um casal cuja filha adolescente faleceu recentemente.
Nomeado para: Óscar de Melhor Curta-metragem de Animação
Onde ver: Netflix

“A Love Song for Latasha”
Sinopse: a morte de Latasha Harlins esteve na origem dos motins de Los Angeles de 1992. Este documentário explora a vida e as aspirações da jovem de 15 anos.
Nomeado para: Óscar de Melhor Documentário de Curta-metragem
Onde ver: Netflix

“Colette”
Sinopse: documentário sobre a nonagenária Colette Catherine, francesa que durante a 2ª Guerra Mundial lutou contra o nazismo.
Nomeado para: Óscar de Melhor Documentário de Curta-metragem
Onde ver: YouTube

“A Concerto is a Conversation”
Sinopse: Kris Bowers, pianista e compositor, percorre a árvore genealógica da sua família com a preciosa ajuda do seu avô de 91 anos.
Nomeado para: Óscar de Melhor Documentário de Curta-metragem
Onde ver: YouTube

“Do Not Split”
Sinopse: documentário sobre a onda de protestos civis contra o projeto de lei de extradição, proposto pelo governo de Hong Kong em 2019.
Nomeado para: Óscar de Melhor Documentário de Curta-metragem
Onde verVimeo

Abaixo deixamos a lista completa de nomeações para os mais curiosos:

MELHOR FILME

  • “O Pai”
  • “Judas e o Messias Negro”
  • “Mank”
  • “Minari”
  • “Uma Miúda Com Potencial”
  • “Nomadland – Sobreviver na América”
  • “O Som do Metal”
  • “Os 7 de Chicago”

MELHOR REALIZADOR

  • Lee Isaac Chung, “Minari”
  • Emerald Fennell, “Uma Miúda Com Potencial”
  • David Fincher, “Mank”
  • Chloé Zhao, “Nomadland – Sobreviver na América”
  • Thomas Vinterberg, “Mais uma Rodada”

MELHOR ATRIZ

  • Viola Davis, “Ma Rainey: A Mãe do Blues”
  • Andra Day, “Estados Unidos vs. Billie Holiday”
  • Vanessa Kirby, “Pieces of a Woman”
  • Frances McDormand, “Nomadland – Sobreviver na América”
  • Carey Mulligan, “Uma Miúda Com Potencial”

MELHOR ATOR

  • Riz Ahmed, “O Som do Metal” 
  • Chadwick Boseman, “Ma Rainey: A Mãe do Blues”
  • Anthony Hopkins, “O Pai”
  • Gary Oldman, “Mank”
  • Steven Yeun, “Minari”

MELHOR ATRIZ SECUNDÁRIA

  • Maria Bakalova, “Borat, o Filme Seguinte”
  • Glenn Close, “Lamento de uma América em Ruínas”
  • Olivia Colman, “O Pai”
  • Amanda Seyfried, “Mank”
  • Yuh-Jung Youn, “Minari”

MELHOR ATOR SECUNDÁRIO

  • Sacha Baron Cohen, “Os 7 de Chicago”
  • Daniel Kaluuya, “Judas e o Messias Negro”
  • Leslie Odom Jr., “Uma Noite em Miami”
  • Paul Raci, “O Som do Metal”
  • Lakeith Stanfield, “Judas e o Messias Negro”

MELHOR ARGUMENTO ADAPTADO

  • Sacha Baron Cohen, Anthony Hines, Dan Swimer, Peter Baynham, Erica Rivinoja, Dan Mazer, Jena Friedman e Lee Kern por “Borat, o Filme Seguinte”
  • Christopher Hampton e Florian Zeller por “O Pai”
  • Chloé Zhao por “Nomadland – Sobreviver na América”
  • Kemp Powers por “Uma Noite em Miami”
  • Ramin Bahrani por “O Tigre Branco”

MELHOR ARGUMENTO ORIGINAL

  • Will Berson e Shaka King por “Judas e o Messias Negro”
  • Isaac Chung por “Minari”
  • Emerald Fennell por “Uma Miúda com Potencial”
  • Darius Marder e Abraham Marder por “O Som do Metal”
  • Aaron Sorkin por “Os 7 de Chicago”

MELHOR CURTA-METRAGEM

  • “Feeling Through”
  • “The Letter Room”
  • “The Present”
  • “Dois Perfeitos Estranhos”
  • “White Eye”

MELHOR DOCUMENTÁRIO

  • “Collective”
  • “Crip Camp: Uma Revolução pela Inclusão”
  • “The Mole Agent”
  • “A Sabedoria do Polvo”
  • “Time”

MELHOR DOCUMENTÁRIO — CURTA

  • “Colette”
  • “A Concerto Is a Conversation”
  • “Do Not Split”
  • “Hunger Ward”
  • “Uma Canção de Amor para Latasha”

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO

  • “Bora Lá”
  • “Para Além da Lua”
  • “A Ovelha Choné, o Filme: A Quinta Contra-Ataca”
  • “Soul: Uma Aventura com Alma”
  • “Wolfwalkers”

MELHOR FILME DE ANIMAÇÃO — CURTA

  • “A Toca”
  • “Genius Loci”
  • “Se Acontecer Alguma Coisa, Adoro-vos”
  • “Opera”
  • “Yes-People”

MELHOR FILME ESTRANGEIRO

  • “Mais uma Rodada”, Dinamarca
  • “Better Days”, Hong Kong
  • “Collective”, Roménia
  • “The Man Who Sold His Skin”, Tunísia
  • “Quo Vadis, Aida?”, Bosnia-Herzegovina

MELHOR DIREÇÃO DE ARTE

  • Peter Francis e Cathy Featherstone por “O Pai”
  • Donald Graham Burt e por Jan Pascale por “Mank”
  • Mark Ricker, Karen O’Hara e Diana Stoughton por “Ma Rainey: A Mãe do Blues”
  • David Crank e Elizabeth Keenan por “News of the World”
  • Nathan Crowley e Kathy Lucas por “Tenet”

MELHOR FOTOGRAFIA

  • Sean Bobbitt por “Judas e o Messias Negro”
  • Erik Messerschmidt por “Mank”
  • Dariusz Wolski por “News of the World”
  • Joshua James Richards por “Nomadland — Sobreviver na América”
  • Phedon Papamichael por “Os 7 de Chicago”

MELHOR GUARDA-ROUPA

  • Alexandra Byrne por “Emma”
  • Ann Roth por “Ma Rainey: A Mãe do Blues”
  • Trish Summerville por “Mank”
  • Bina Daigeler por “Mulan”
  • Massimo Cantini Parrini por “Pinocchio”

MELHOR MONTAGEM

  • Yorgos Lamprinos por “O Pai”
  • Chloé Zhao por “Nomadland — Sobreviver na América”
  • Frédéric Thoraval por “Uma Miúda Com Potencial”
  • Mikkel E. G. Nielsen por “O Som do Metal”
  • Alan Baumgarten por “Os 7 de Chicago”

MELHOR SOM

  • Warren Shaw, Michael Minkler, Beau Borders e David Wyman por “Greyhound”
  • Ren Klyce, Jeremy Molod, David Parker, Nathan Nance e Drew Kunin por “Mank”
  • Oliver Tarney, Mike Prestwood Smith, William Miller e John Pritchett por “News of the World”
  • Ren Klyce, Coya Elliott and David Parker por “Soul”
  • Nicolas Becker, Jaime Baksht, Michellee Couttolenc, Carlos Cortés e Phillip Bladh por “O Som do Metal”

MELHORES EFEITOS VISUAIS

  • Matt Sloan, Genevieve Camilleri, Matt Everitt e Brian Cox por “Love and Monsters”
  • Matthew Kasmir, Christopher Lawrence, Max Solomon e David Watkins por “O Céu da Meia-Noite”
  • Sean Faden, Anders Langlands, Seth Maury e Steve Ingram por “Mulan”
  • Nick Davis, Greg Fisher, Ben Jones e Santiago Colomo Martinez po “O Único e Imcomparável Ivan”
  • Andrew Jackson, David Lee, Andrew Lockley e Scott Fisher por “Tenet”

MELHOR CARACTERIZAÇÃO

  • Marese Langan, Laura Allen and Claudia Stolze por “Emma”
  • Eryn Krueger Mekash, Matthew Mungle e Patricia Dehaney por “Lamento de uma América em Ruínas”
  • Sergio Lopez-Rivera, Mia Neal e Jamika Wilson por “Ma Rainey: A Mãe do Blues”
  • Gigi Williams, Kimberley Spiteri e Colleen LaBaff por “Mank”
  • Mark Coulier, Dalia Colli e Francesco Pegoretti por “Pinocchio”

MELHOR BANDA SONORA ORIGINAL

  • Terence Blanchard por “Da 5 Bloods: Irmãos de Armas”
  • Trent Reznor e Atticus Ross por “Mank”
  • Emile Mosseri por “Minari”
  • James Newton Howard por “News of the World”
  • Trent Reznor, Atticus Ross and Jon Batiste por “Soul”

MELHOR MÚSICA ORIGINAL

  • ‘Fight for You’, música de H.E.R. e Dernst Emile II; letra de H.E.R. e Tiara Thomas, em “Judas e o Messias Negro”
  • “Hear my Voice”, música de Daniel Pemberton; letra de Daniel Pemberton e Celeste Waite, em “Os 7 de Chicago”
  • ‘Husavik’, música e letra de Savan Kotecha, Fat Max Gsus e Rickard Göransson, em “Festival Eurovisão da Canção: A História dos Fire Saga”
  • ‘Io Sì (Seen)’, música de Diane Warren; letra de Diane Warren e Laura Pausini, em “Uma Vida à Sua Frente”
  • ‘Speak Now’, música e letra de Leslie Odom, Jr. e Sam Ashworth, em “Uma Noite em Miami”

Mais em TV & Cinema

To Top